24/02/2010

TEXTO LITERÁRIO E TEXTO NÃO-LITERÁRIO

Texto literário e texto não-literário

Quando indagamos a respeito do que é que distingue um texto literário do não-literário, percebemos que não há uma única resposta e sim várias respostas porém não definitivas, corroborando para a complexidade do assunto tanto posto em discussão. Podemos, no entanto, apresentar os critérios mais usados atualmente para caracterizar o texto literário e não-literário.

Distinguí-los com base no caráter ficcional ou não-ficcional já fora constatado outrora problema insolucionável, devido a impossibilidade de diferençar o real do fictício em certas situações concretas. Por exemplo, a história de uma aparição da Virgem Maria ou da intervenção de um espírito provocam risos num cético, mas são ouvidas com respeito por um crente.

Entretanto, modernamente, tem-se buscado a demarcação dos textos em outros campos. As análises mostraram que todo texto possui uma FUNÇÃO. Com base nesta conclusão, diz-se que o texto literário apresenta uma FUNÇÃO ESTÉTICA, enquanto o texto não-literário tem uma FUNÇÃO UTILITÁRIA (informar, convencer, explicar, responder, ordenar etc.).

NOTÍCIA

O texto acima pretende unicamente informar o leitor sobre o número de pessoas infectadas pelo vírus da gripe suína nos Estados Unidos. Nele o texto é tecido de forma clara e direta e o plano de expressão remete a um único plano do conteúdo. Aliás, o conteúdo é o seu principal foco. Expliquemos melhor esse conceito do genebrino Ferdinand de Saussure.(Genebra, 26 de novembro de 1857 –Morges, 22 de fevereiro de 1913)
Autoridades dos Estados Unidos disseram nesta quinta-feira que o número total de casos de gripe suína no país subiu para 109.


Na quarta-feira, autoridades sanitárias dos Estados Unidos confirmaram que um bebê mexicano de 23 meses morreu no Texas vítima de gripe suína, o que configura a primeira morte causada pela doença fora do México. Kathy Barton, porta-voz do departamento de Saúde de Houston, afirmou que a criança havia viajado para a cidade para fazer tratamentos médicos.


Novos casos


Hoje, a Suíça e a Holanda confirmaram seus primeiros casos de gripe suína e a Espanha subiu o número de casos confirmados para 13 pessoas e o de possíveis contágios sob observação para 87.



Saussure considera a língua como um sistema de SIGNOS formados pela “união” do sentido, conceito ou idéia (SIGNIFICADO), e da imagem acústica (impressão psíquica do som), que vai ser o SIGNIFICANTE. Cada signo ou cada conjunto de signos articulados dentro de uma estrutura textual terá, obviamente, um PLANO DE EXPRESSÃO e um PLANO DE CONTEÚDO. Levando este conceito para o nível textual constatamos que todo signo lingüístico é DENOTATIVO.

DENOTAÇÃO é a significação objetiva da palavra. Pode-se dizer que é a palavra em estado de “dicionário”.
Podemos concluir em primeira instância que um texto em forma de notícia é considerado um texto-não literário porque possui, como principal característica, a função utilitária de informar o leitor. Seu tecido é constituído prioritariamente de signos lingüísticos de caráter denotativo cuja significação é sempre objetiva.

Agora, antes de chegarmos a FUNÇÃO ESTÉTICA do texto literário, voltemos a um dado sobre o signo lingüístico para melhor absorvermos esse processo sob outra forma. Um plano de expressão + um plano de conteúdo, eis o signo lingüístico por natureza. Entretanto, sobreposto ao significado DENOTATIVO implanta-se o significado CONOTATIVO, que consiste em um novo PLANO DE CONTEÚDO investido no signo como um todo.

CONOTAÇÃO é a significação subjetiva da palavra. Ocorre quando a palavra evoca outras realidades por associações que ela provoca.
Exemplo: Minha vida é um mar de dissabores.

Observe o texto abaixo:


Alma minha gentil, que te partiste


tão cedo desta vida descontente,


repousa lá no Céu eternamente,


e viva eu cá na terra sempre triste.

Se lá no assento etéreo, onde subiste,
memória desta vida se consente,


não te esqueças daquele amor ardente


que já nos olhos meus tão puro viste.



E se vires que pode merecer te


algüa causa a dor que me ficou


da mágoa, sem remédio, de perder te,



roga a Deus, que teus anos encurtou,


que tão cedo de cá me leve a ver te,


quão cedo de meus olhos te levou.
                           Luis de Camões



Se no texto não-literário demos o exemplo da notícia, cuja função era de informar por meio objetivo o leitor e com o foco no conteúdo, o texto acima remete-nos a uma outra concepção: nele o conteúdo (trata-se, basicamente, da mulher amada que morreu e que deve repousar no céu, enquanto o amado deve viver triste na terra) fica evidentemente em segundo plano. A forma (plano de expressão) é o mais importante; cada signo rompe com seu significado racional para recriar certos conteúdos na organização da expressão.
fonte:http://static.recantodasletras.com.br/arquivos/1655530.doc

12 comentários:

BrunaVilanova disse...

Adorei o texto, muito útil e explicativo!

aproveitem e visitem: http://tediocativante.blogspot.com
abraço!

eduardagloria2009 disse...

Eu também adorei esse texto bem objetivo, muito útil para mim que fiz um trabalho sobre isso, Parabéns para a escritora deste texto, vc escreve muito bem!!

michellifran-a disse...

mito explicativo esse conteúdo adorei!!!!!!!!!

michellifran-a disse...

adorei as explicaçoes vai me ajudar muito!!!!!!!!!!

maurosedex disse...

Muito didática à aprtesentação das informações referente as diferenças de textos......é muito útil....

Zignd's Blog disse...

Muito legal o seu post como o maurosedex disse ele é bastante didático facilitando assim o aprendizado rápido. ^^

Sandes disse...

Gostei do texto. Parabéns!

T37 disse...

ChVioObrigado ajudou bastante

felipefr disse...

Excelente texto. Muito obrigado.

marco andre disse...

excelente conteudo

JACIANE disse...

Adorei,excelente e muito útil.Parabéns!

Maria Lúcia Silva de Lima disse...

Minha pesquisa foi mastante útil pra mim agora vou saber mais ainda o que é literario e o que não obrigado. Porque se todos os professores buscaçem o que tem duvidas nossa educação melhoraria muito.